Missão

Defender e promover o direito de asilo em Portugal
  • Nos termos do Direito Internacional, Europeu e Nacional dos Direitos Humanos e dos Refugiados;
  • Através do apoio directo e gratuito, independente e imparcial, efectuado pelos vários departamentos especificamente direccionados a requerentes e beneficiários de protecção internacional com os objectivos de garantir o acesso à protecção internacional e de capacitar esta população para a integração, respectivamente;
  • Através do acolhimento inicial e transitório de requerentes de protecção internacional e refugiados reinstalados nos Centros de Acolhimento para Refugiados, sitos na Bobadela e São João da Talha e no Centro de Acolhimento para Crianças Refugiadas;
  • Através de advocacy junto das entidades governamentais, de forma a cumprir os objectivos seguidamente descritos;
  • Através de acções de informação, sensibilização e formação, contribuindo para uma sociedade mais informada e receptiva aos refugiados.

Visão

  • Que Portugal cumpra os compromissos internacionalmente assumidos e a legislação relativa a direitos humanos e ao direito de asilo;
  • Que Portugal, no âmbito da cooperação internacional, assuma responsabilidade acrescida no sistema internacional e europeu de protecção, nomeadamente no âmbito da Reinstalação e de mecanismos de solidariedade;
  • Que Portugal respeite a dignidade dos requerentes de protecção internacional, assegurando a quem seja reconhecida protecção, a possibilidade de se integrar e desenvolver;
  • Que o CPR é, e continuará a ser, a organização de referência em termos da defesa e promoção do direito de asilo em Portugal.

Valores

  • Os Direitos Humanos;
  • Inclusão e empoderamento dos requerentes e beneficiários de protecção internacional;
  • Sociedade inclusiva e consciente das suas responsabilidades nos domínios do asilo;
  • Especialização, continuidade, resiliência e criatividade;
  • Transparência, independência, rigor e integridade;
  • Espírito de equipa, trabalho em parceria e em rede (local e comunitária), formas essenciais de cooperação e colaboração para concretizar os objectivos.